Home DESTAQUE! Ultra! – Anemari Calixto

Ultra! – Anemari Calixto

14
Compartilhe

De expectadora da Prova Rústica
Tiradentes aos 119km em uma das mais emocionantes
ultramaratonas do mundo!

Até onde você iria pelo seu esporte? Digamos que esta pergunta é um pouco difícil de ser respondida por Anemari Calixto, pois ela vai longe, dezenas, centenas de quilômetros e vai muito além da resistência física e psicológica de nós, meros mortais!
Hoje Anemari corre sempre aos extremos, com temperaturas muito baixas ou muito altas e distâncias superiores a 100km, contemplando belezas naturais que poucas pessoas ao redor do planeta terão a coragem e a disposição de conhecer.

Para chegar até aqui, a corredora apaixonada por Ultramaratona Trail, teve uma base sólida. Após acompanhar a largada e a chegada da principal corrida de rua de Maringá em 2002, decidiu que também se tornaria corredora e com muito treino, avançando degrau por degrau em 2003, participou da edição da Prova Rústica Tiradentes daquele ano. De lá pra cá foram muitas corridas, entre elas 12 maratonas, sempre com determinação e muito foco!

A primeira experiência trail (percurso fora do asfalto) da Anemari em Bombinhas/SC, lugar de tradicionais eventos desta modalidade e a primeira vitória veio em 2014 na Indomit 42k na mesma cidade. Embaixo de muita chuva, a superação foi determinante para essa conquista.

Superação que faz parte do cotidiano e das metas da corredora. Sentindo que poderia mais, partiu então para a primeira ultramaratona trail ainda em 2014: a Patagônia Run, em San Martin de Los Andes, Argentina com percurso de 103k realizados em 19h36min.
“Foi uma prova muito difícil e muito técnica. Enfrentei um frio de madrugada com temperatura de -15ºC, subidas intermináveis, trilhas com muitas raízes, pedras, buracos, muitos rios para atravessar. As subidas eram muito íngremes. Mas o visual do ponto mais alto é indescritível, uma paisagem que não consigo descrever, pela exuberante beleza, nessa hora é a que se sente a maravilhosa criação de Deus. Sofri muito, chorava, achava que não conseguiria terminar. Senti muita dor nos joelhos. Sempre gostei de descida, mas aí descobri que não é tão fácil descer uma montanha. Quando você termina uma Ultra, a sensação de superar seus limites Físicos e Psicológicos, não importando a colocação, é um prazer enorme, como se você tivesse vencido uma batalha com você mesma (nestas provas o psicológico pesa muito, tem horas, que as pernas parecem que não vão aguentar tantos quilômetros, os pensamentos negativos aparecem a todo instante, insegurança, dores, cansaço, sono, frio ou calor demais)” Relembra Calixto.
Diferente das provas no asfalto, as trail reservam surpresas a cada quilômetro, tipo de solo, inclinação e variações climáticas te levam ao extremo. Não é possível prever o pace e o psicológico realmente tem de ser tão ou mais forte que o próprio corpo.

“A minha ultramaratona mais difícil foi a VULCANO 80K, em Puerto Varas, Chile, a qual conclui em 18h40, quase fui cortada, passei em um ponto de corte faltando 2 minutos do tempo limite, tinha 19 horas para completar a prova. É uma prova que se faz em torno de um vulcão. É um percurso muito duro e técnico, tem quilômetros e mais quilômetros de subidas com pedras enormes. Cheguei em 8ª lugar. Última das mulheres que terminaram a prova, nesta prova só 40% dos corredores cruzaram a linha de chegada.” Conta aliviada.

A preparação para este tipo de competição é dura e bem regrada. Anemari faz um trabalho de fortalecimento de duas a três vezes na semana, se intensificando nas proximidades das provas e os treinos de corrida acontecem até seis vezes na semana, girando em média 300 a 400km por mês. Dependendo da prova, os treinos vão se tornando cada vez mais longos, chegando à 24 horas seguidas.

“Procuro treinar em estradas rurais com muitas subidas íngremes, pedras, gramado, areia e até escadaria do prédio onde moro. Em nossa região é difícil simular o terreno das provas, por isso é importante improvisar. Outros fatores determinantes e que não são possíveis simular: altimetria (dificulta muito a prova de acordo com o ganho ou perda de elevação), noite, vento, frio, chuva, neve, ou calor e todos estes necessitam de um treinamento muito bom.” Relata.

Para poder estar sempre preparada para as corridas mais extremas do mundo, uma equipe de profissionais assessoram a corredora para que os resultados sejam os melhores possíveis. Eduardo Gonçalves da Eggo Assessoria prescreve os treinos, o fortalecimento fica sob responsabilidade do Personal Trainer Leonado Gealh, Fisioterapia com o Grupo Sportfísio, Avaliare cuida das avaliações e nutrição, suplementação com a Vita Point, finalizando com o Osteopata e Fisioterapeuta Mário Lemes. Além do importante apoio e incentivo da família!

Em agosto, Anemari participou da sua mais longa e emocionante Ultra Trail. A Ultra Trail Du Mont-Blanc em Chamonix na França e percorre pelas três fronteiras (França/Itália/Suiça) com 119km e ganho de elevação de 7200m. A prova foi finalizada em incríveis 29h49, impressionante!

“Procuro treinar em estradas rurais com muitas subidas íngremes, pedras, gramado, areia… Em nossa região é difícil simular o terreno das provas, por isso é importante improvisar.”

Deixe uma resposta